43/5000 比 5000 个字符的上限多出 3718 个字符: Há também o "battle pass", que custa 10 € e dá acesso a diversões (jogar golfe ou basquete), efeito especiais, missões e personagens exclusivas, teletransporte e, também, moedas gratuitas para comprar os restantes itens à venda. Um amigo meu descobriu no outro dia que cerca de uma centena de euros tinham sido gastos no cartão de crédito associado à consola em pouco mais de um mês (ups!). Nada surpreendente: não se pode jogar Fortnite sem estilo. É preciso andar bem vestido e conseguir dançar de forma original. E isso paga-se. Este modelo de negócio, tão típico do digital, tem ajudado diversas empresas a fazer fortuna. Dar conteúdo, oferecer serviço, proporcionar entretenimento sem pedir nada em troca gera milhões. O Fortnite não é exceção: estima-se que gere 2 mil milhões de dólares este ano. Personalização | estilo O Fortnite já não é apenas um jogo. É uma forma de estar e de se afirmar. Quem joga gosta de partilhar as suas vitórias nas redes sociais, mas não só: há muitos motivos de afirmação para além desta forma tradicional de sucesso que é vencer. Um avatar estiloso, com uns acessórios xpto, umas danças "emotes" originais ou a superação de um determinado desafio do jogo são motivos mais do que suficientes para exposição social e afirmação garantida. Estes rituais e esta forma de estar definem quem os segue e são fatores cruciais para a inclusão numa comunidade: jogar Fortnite é ser cool. As danças e as expressões ("kills", "wins", "skin", etc) são o expoente máximo deste fenómeno de cultura pop, pois tiveram um impacto tal que sofreram um efeito de ampliação e estão a gerar um fenómeno maior do que o próprio jogo. Efetivamente, são reproduzidos pelos jogadores fora do Fortnite, no mundo físico, contagiando indivíduos que nunca o jogaram. A Epic Games está de parabéns. Demonstrou uma criatividade sem igual, reinventando os tradicionais jogos de guerra. Explorou da melhor forma o modelo de negócio de sucesso no digital, disponibilizando o jogo de forma gratuita e potenciando assim uma adoção rápida. Investiu fortemente na multicanalidade, o que levou a uma massificação da utilização. O mundo virtual que criou, as personagens, as danças e os rituais fazem parte de uma estratégia de marketing genial, pensada para garantir conversão (compras dentro do jogo), fidelização (novos desafios e recompensas constantes) e grande impacto de comunicação (publicidade gratuita e de recomendação genuína constituída pelas partilhas nas redes sociais da comunidade de jogadores). Quanto a nós, pais, não nos restam grandes alternativas se não partilhar as vitórias dos nossos filhos, aprender a dançar como eles, dar-lhes dicas para vencerem, ajudá-los a escolher o avatar mais fixe.... mas também colocarmos plafonds nos cartões de crédito virtuais associados às consolas e impormos limites às horas de jogo para abrirmos espaço a outro tipo de atividades (como é difícil pô-los a ler ou jogar Catan depois da excitação do Fortnite!). Podemos igualmente explorar em conjunto e de forma divertida todas as oportunidades de aprendizagem que o jogo contém, como por exemplo explicarmos porque o seu sucesso foi o resultado de uma fabulosa estratégia de marketing, como funciona o modelo de negócio típico do digital, ou ainda alertarmos para o facto de -na vida real tal como no jogo - nem sempre ser o melhor a ganhar, mas sim o mais resistente e assim enaltecermos as virtudes do esforço, da tática, da preparação e da resiliência. * Este artigo foi escrito por Fernanda Vasconcelos, diretora de Marketing do Impacting Group, e uma aficionada de longa data pelo Marketing e o Comércio digital, com a preciosa colaboração do seu filho Afonso de 11 anos, nascido num mundo digital. The secrets behind the success of Fortnite

classic Classic list List threaded Threaded
1 message Options
Reply | Threaded
Open this post in threaded view
|

43/5000 比 5000 个字符的上限多出 3718 个字符: Há também o "battle pass", que custa 10 € e dá acesso a diversões (jogar golfe ou basquete), efeito especiais, missões e personagens exclusivas, teletransporte e, também, moedas gratuitas para comprar os restantes itens à venda. Um amigo meu descobriu no outro dia que cerca de uma centena de euros tinham sido gastos no cartão de crédito associado à consola em pouco mais de um mês (ups!). Nada surpreendente: não se pode jogar Fortnite sem estilo. É preciso andar bem vestido e conseguir dançar de forma original. E isso paga-se. Este modelo de negócio, tão típico do digital, tem ajudado diversas empresas a fazer fortuna. Dar conteúdo, oferecer serviço, proporcionar entretenimento sem pedir nada em troca gera milhões. O Fortnite não é exceção: estima-se que gere 2 mil milhões de dólares este ano. Personalização | estilo O Fortnite já não é apenas um jogo. É uma forma de estar e de se afirmar. Quem joga gosta de partilhar as suas vitórias nas redes sociais, mas não só: há muitos motivos de afirmação para além desta forma tradicional de sucesso que é vencer. Um avatar estiloso, com uns acessórios xpto, umas danças "emotes" originais ou a superação de um determinado desafio do jogo são motivos mais do que suficientes para exposição social e afirmação garantida. Estes rituais e esta forma de estar definem quem os segue e são fatores cruciais para a inclusão numa comunidade: jogar Fortnite é ser cool. As danças e as expressões ("kills", "wins", "skin", etc) são o expoente máximo deste fenómeno de cultura pop, pois tiveram um impacto tal que sofreram um efeito de ampliação e estão a gerar um fenómeno maior do que o próprio jogo. Efetivamente, são reproduzidos pelos jogadores fora do Fortnite, no mundo físico, contagiando indivíduos que nunca o jogaram. A Epic Games está de parabéns. Demonstrou uma criatividade sem igual, reinventando os tradicionais jogos de guerra. Explorou da melhor forma o modelo de negócio de sucesso no digital, disponibilizando o jogo de forma gratuita e potenciando assim uma adoção rápida. Investiu fortemente na multicanalidade, o que levou a uma massificação da utilização. O mundo virtual que criou, as personagens, as danças e os rituais fazem parte de uma estratégia de marketing genial, pensada para garantir conversão (compras dentro do jogo), fidelização (novos desafios e recompensas constantes) e grande impacto de comunicação (publicidade gratuita e de recomendação genuína constituída pelas partilhas nas redes sociais da comunidade de jogadores). Quanto a nós, pais, não nos restam grandes alternativas se não partilhar as vitórias dos nossos filhos, aprender a dançar como eles, dar-lhes dicas para vencerem, ajudá-los a escolher o avatar mais fixe.... mas também colocarmos plafonds nos cartões de crédito virtuais associados às consolas e impormos limites às horas de jogo para abrirmos espaço a outro tipo de atividades (como é difícil pô-los a ler ou jogar Catan depois da excitação do Fortnite!). Podemos igualmente explorar em conjunto e de forma divertida todas as oportunidades de aprendizagem que o jogo contém, como por exemplo explicarmos porque o seu sucesso foi o resultado de uma fabulosa estratégia de marketing, como funciona o modelo de negócio típico do digital, ou ainda alertarmos para o facto de -na vida real tal como no jogo - nem sempre ser o melhor a ganhar, mas sim o mais resistente e assim enaltecermos as virtudes do esforço, da tática, da preparação e da resiliência. * Este artigo foi escrito por Fernanda Vasconcelos, diretora de Marketing do Impacting Group, e uma aficionada de longa data pelo Marketing e o Comércio digital, com a preciosa colaboração do seu filho Afonso de 11 anos, nascido num mundo digital. The secrets behind the success of Fortnite

nm123456
Fortnite just celebrated annually of Fortnite Items existence and already has 125 million players. My son is one of them, so I wished to realize the secrets behind this success.

About half per year ago, my 11-year-old son downloaded a totally free game to your console about the recommendation of any friend. At the time, I had never heard about Fortnite, but I soon remarked that this new passion of my little prince would turn into a storm, for that addictive ingredients from the game were considered excellently.

Indeed, the passion is certainly that today the 8-year-old sister actively participates inside the plays, making an effort to detect enemies, securing many kills that can lead to a "win" ... so we too - adults - were dragged into this madness, for both I and my pops learned to learn to dance "emotes". Our room is full of voices of preteens who arrived at our house through playstation to team have fun with our son, giving weapons or materials together to kill enemies.

But objectively which are the ingredients that makes game so enthralling?

Live a lot of adventures safely without leaving home

Sitting within the couch inside the living room, my son can jump out of your balloon parachute to land in one from the game's cities, enter deserted houses to find weapons and supplies, play golf and basketball, drive a buggy, make various types of buildings, kill enemies with various weapons, climb towards the roofs of houses and warehouses, discover treasures hidden in chests, die and very soon after reborn, dance and in some cases fly.

The adrenaline these activities give a preteen is brutal! Given the over-protection we give our (convinced that the globe is far more dangerous than once we were kids ... could it be?), And the short amount of time left for exploration and adventure (between high school graduation, swimming, soccer, plus the extra language of choice we impose in it), Fortnite finally ends up providing the enthusiasm and magic we felt when, at similar ages, we sought out into an abandoned house to discover what was inside.

Clear and challenging goals | strong and constant rewards

The game Fortnite Batalha Real consists of any survival competition involving 100 players. The storm is approaching over time, restricting the space of game and forcing making sure that there is just one winner: the survivor. Winning means being the toughest away from 100, and that is extremely challenging.

During each move, regular rewards are given, as players discover treasure chests (that have weapons, building materials, survival kits, etc.) and collect the belongings with the enemies they could eliminate.

Regularly launch missions that, when completed successfully, give prizes: backpacks for avatars, xp to level up, new characters and accessories.

Playing always means earning something ... even though we are not the winning survivor!

Social shed in Fortnite Weaponsthe game

It can be done to play Fortnite as a team, which generates moments of fun with friends keep in mind and also with strangers who're online. As our spend more time in the home than within the street, team-based electronic games can be a convenient approach to more time using other children as well as provide new friendships across borders .